ILHAS MAURÍCIAS –UM EXEMPLO DE SUCESSO

2022-10-10T07:00:00.0000000Z

2022-10-10T07:00:00.0000000Z

Media Nova

https://mediaquiosque.pressreader.com/article/281964611641326

ÁFRICA

Na sequência de várias décadas de forte crescimento, as Ilhas Maurícias são o país mais rico de África por uma margem significativa, com base no rendimento per capita que equivalia a 34,500 dólares americanos, em Dezembro de 2021, muito acima do país em segundo lugar, a África do Sul(10,970 dólares). Possíveis razões para o alto rendimento das Maurícias Facilidade de criação e negócios no país – As maurícias são o primeiro país em África e o 13º no mundo, segundo o relatório Doing Business de 2020 do Banco Mundial. Impostos baixos, que encorajam a criação de negócios e apelas aos reformados. Nomeadamente, não imposto sobre heranças ou sobre os redimentos de capital nas Maurícias. Segurança – As Maurícias foram consideradas recentemente pela empresa New Wealth World como o país mais seguro de África, juntamente com a Namíbia e o Botswana. De notar que a segurança é um dos motivadores chave de crescimento financeiro em qualquer país. Forte aumento de milionários – um grande número de indíviduos de rendimento elevado (IRE) mudaram-se para as Maurícias na última década. Adicionalmente, foram criados muito IRE locais à medida que a economia crescia. As Maurícias acolhem actualmente 4.800 IRE, comparativamente a 2.700, há uma década. Um sector de serviços financeiros em crescimento rápido e mercado de acções (SEMDEX). Rendimento per capita elevado. Em Junho de 2020, o Banco Mundial classificou oficialmente as Maurícias como um país de alto rendimento. Segundo o Relatório sobre as Finanças em África 2022, as projecções de crescimento para as Maurícias são fortes, esperando-se que o país venha a atingir um crescimento de 80% em termos financeiros na prócima década (até 2031) Isto colocalo-á como um dos mercados de alto rendimento com crescimento mais rápidodo mundo durante este período (em termos de crescimento percentual), juntamente com a Austrália, Nova Zelândia, Suiça e Malta. Em 2031, espera-se que o número de IRE nas Maurícias atinja os 8.000.

pt-ao