COMBATE À FOME E À POBREZA EM ANGOLA: PROGRAMA DE COMPRA INSTITUCIONAL DE ALIMENTO – PCIA

2022-06-01T07:00:00.0000000Z

2022-06-01T07:00:00.0000000Z

Media Nova

https://mediaquiosque.pressreader.com/article/282282438967010

ESTUDOS & PESQUISAS

A tese básica desta mobilidade: A fome é a escassez ou privação de alimentos. Existem ainda no mundo cerca de 100 milhões de pessoas sem tecto; um bilhão de analfabetos; em cada 7 indivíduos, um não sabe ler nem escrever; 1,1 bilhão de pessoas vivem na pobreza. Em Angola, em particular, a taxa de incidência da pobreza multidimensional na área rural é de 87,8%, mais do que o dobro da taxa de incidência nas áreas urbanas, que corresponde a 35%. Grandes disparidades geográficas são verificadas (INEA, 2020). Segundo o INEA (2020), dados de 2015/2016, as províncias do Bié, Cunene, Lunda Norte, Moxico, Cuando Cubango, Uíge, Huíla, Cuanza Sul e Huambo apresentam uma taxa de incidência da pobreza superior a 70%, ao passo que a província de Luanda apresenta a menor taxa de incidência da pobreza, com 23,7%. As crianças menores de 9 anos são as mais afectadas pela pobreza (64,3%), comparando com qualquer outro grupo etário. Este projecto tem como foco a compra institucional de alimentos a nível local (comunidades rurais) e repassar para escolas, unidades de saúde e penitenciários (quando existir). O mesmo tem como característica inovadora valorizar o consumo de acordo com o que é produzido localmente, e com isso potencializar economicamente as comunidades rurais. Espera-se com isso, a curto e a médio prazos, fazer emergir, a nível das localidades, actividades comerciais entre o Estado e os agricultores familiares, incentivar a produção agrícola a nível dos municípios, incentivar o comércio rural promovendo o desenvolvimento socioeconómico regional, e a redução do número de crianças fora das escolas.

pt-ao