Na imagem, não é o que você pensa, é o que os outros vêem…

MARLEYH SELO Consultora de Imagem e Escritora

2022-08-01T07:00:00.0000000Z

2022-08-01T07:00:00.0000000Z

Media Nova

https://mediaquiosque.pressreader.com/article/282170769981996

OPINIÃO

Sob essa perspectiva, eu pergunto a si, caro leitor/a: _A sua reputação valoriza a sua imagem? _ O seu comportamento tem sido elegante? _ A sua roupa/aparência transmite a mensagem que pretende passar? Desde o princípio da humanidade, até aos nossos dias, os seres humanos sempre julgaram e continuarão a julgar o que vêem, ou seja, julgam a imagem que cada um de nós projecta na sociedade diariamente. Não sei se é por defeito psicológico, emocional e/ou ocular, mas a verdade é que como não foi dado, infelizmente, a capacidade de enxergar o intelecto e a habilidade técnica, julga-se pela aparência que cada indivíduo projecta de si mesmo. A mensagem da avaliação dessa aparência será boa ou má, em função de como você se apresenta constantemente. Acredito rispidamente que deve ser por essa razão que Confúcio escreveu “uma imagem vale mais do que mil palavras”. E se fizermos uma analogia, o conceito de imagem como “representação visual ou mental (reflexo) que uma pessoa faz de si mesma” não mudou desde Platão às ciências exactas, do senso comum às belas artes. O que significa que estamos sempre a comunicar de forma certa ou errada, por meio da imagem que é transmitida pela forma de vestir, falar, gesticular, sentar, andar, tom de voz, o que escreve, inclusive na postura e no comportamento adoptado. Lamentavelmente, muita gente acredita que, quando falamos de imagem, estamos a referir-se unicamente à roupa ou à moda. Na verdade... é muito mais do que isso. A imagem é um todo de aparência, comportamento, etiqueta, estilo pessoal e comunicação. Não importa se se veste por pudor, adereço ou por protecção, muito menos se vai a uma reunião de negócio, no primeiro encontro, na festa da empresa, numa entrevista de emprego, no casamento, discutir com a cunhada ou confessar os seus pecados. Por favor, não escolha qualquer roupa para vestir. Isto é, não perca a oportunidade de impressionar por meio de uma imagem elegível e distinta. Apresentar-se adequadamente, em função do contexto em que estiver inserido, bem como comportar-se e/ou comunicarse assertivamente é importante para a sua auto-imagem, bem-estar social e para a sua reputação. E isto não está relacionado com vaidade, moda ou ostentação. Afinal, a roupa é civilização, um excelente instrumento de comunicação e sem esquecer que a roupa certa dá-nos a sensação de segurança e poder. A roupa que é usada é uma ferramenta imprescindível para a construção de uma imagem pessoal e profissional de sucesso e de alto impacto. A imagem abre portas, a postura e o comportamento assertivo mantêm você lá e as suas habilidades técnicas e comunicação eficaz elevam-no para outros patamares. Não se esqueça, “uma boa imagem não substitui competência ou habilidade, mas não há competência que não se beneficie de uma excelente imagem”. Como é dito: “não basta apenas ser um excelente técnico e/ou profissional, é preciso parecer. Em suma, a maneira como projecta a sua imagem socialmente traz informações que vão influenciar na percepção de valor que os outros terão de si. A imagem no seu todo e a roupa em particular dizem e muito sobre quem é, como está emocionalmente e, ainda, impacta directamente na forma como olharão para si. Vai posicioná-lo, destacá-lo e vai estimular também, se o/a ouvirão ou não. Conte-me, Confúcio tinha ou não razão?

pt-ao