As nossas crianças precisam de ver o mundo de forma mais nítida, estereofónica e inspirada

JOSÉ GERALDES* * Director Técnico do Centrooptico Geraldes, Director Técnico do Centrooptico @centroopticangola

2022-07-01T07:00:00.0000000Z

2022-07-01T07:00:00.0000000Z

Media Nova

https://mediaquiosque.pressreader.com/article/282372633349341

OPINÃO

Os problemas de visão e de audição são muito mais frequentes do que imaginamos, mas as crianças não se queixam e compete-nos, enquanto pais informados, estarmos atentos e assegurarmos que as nossas crianças fazem rastreios visuais e auditivos. Dependendo da idade, cada criança é propensa a ter um tipo de problema de visão ou audição, que pode afectar ou gerar outros problemas. É, por isso, muito importante levarmos os nossos filhos ao oftalmologista e ao otorrinolaringologista, para realizar exames visuais e auditivos, periodicamente, começando quando ainda são bebés. O segredo é começarmos o mais cedo possível. Quando mais rapidamente identificarmos alguma situação que mereça tratamento, mais rapidamente os nossos filhos começam a corrigir os seus problemas, o que lhes vai permitir ter um desenvolvimento saudável. Para garantir que os olhos dos nossos filhos se desenvolvem normalmente, o cérebro necessita de certos impulsos. Contudo, se os olhos tiverem algo de errado, estes impulsos podem não ocorrer. Caso se detectem e tratem, de início, os problemas de visão, a criança pode vir a ter uma visão normal. Se observar alguma das seguintes condições nos seus filhos, marque uma consulta no optometrista, pois estes sintomas podem, eventualmente, significar problemas visuais: • Estrabismo óbvio e permanente • A manutenção ininterrupta da cabeça em posição inclinada • Olhos muito grandes • Actos de evitar a luz ou de não resposta à luz • Esfregar dos olhos obsessivo com dedos, contraindo o rosto • Virar os olhos sem focar nada • Não percepção de objectos procurados Ao nível auditivo é importante estarmos atentos a atrasos no desenvolvimento da fala e à falta de rendimento escolar, uma vez que podem estar relacionados com a falta de audição. Em crianças mais velhas, os problemas visuais podem, também, ser evidentes nas seguintes peculiaridades: • A criança tropeça ou vai contra a mobília, frequentemente • Aumento de problemas visuais no crepúsculo ou no escuro • Declínio súbito das notas escolares • A criança não gosta de ler • A criança isola-se das outras crianças • Dores de cabeça recorrentes podem, também, indiciar problemas de visão As crianças assimilam perto de 90% de tudo o que aprendem através dos olhos. Por conseguinte, a detecção atempada dos problemas visuais é fulcral. Como com qualquer outro problema de saúde, aplica-se o mesmo princípio: quanto mais cedo se detectar o problema, mais rápido e efectivo será o tratamento. Fique atento, previna-se fazendo rastreios regulares, e ajude o seu filho a tirar partido do seu potencial individual, abrindo-lhe novos horizontes, e mostrando-lhes o mundo de uma forma mais nítida, estereofónica e essencialmente inspirada. José

pt-ao