Eu só me visto de roupas de marcas - será?

MARLEYH SELO Consultora de Imagem e Escritora

2022-07-01T07:00:00.0000000Z

2022-07-01T07:00:00.0000000Z

Media Nova

https://mediaquiosque.pressreader.com/article/282192244722909

OPINIÃO

Nunca antes a frase “Eu Só Me Visto de Roupas de Marcas” me deu tanta crise de riso como actualmente. Com a facilidade de acesso à Internet, crescimento de perfil nas redes sociais e aumento de Influenciadores Digitais, parece que virou Luxo a frase “Só uso roupas/acessórios de marcas”. Embora no off-line esta frase já era popular. O que constantemente me questiono é se a pessoa que usa a frase “só uso roupas/acessórios de marcas” tem consciência do que é uma marca. Sinceramente... Até fico hesitante para responder essa questão, sobre o que eu acho. A forma como entoam e empoderam as suas falas, na expressão que encabeça o tema do artigo de opinião, é como se a magnificência das roupas de marcas caras, luxuosas e poderosas, como a Louis Vuitton, Chanel, Gucci, Hermes e Rolex (citei-as por fazerem parte do top 5, das marcas mais poderosas do mundo) os/as salvasse do ridículo, quando se apresentam de forma *inadequada, em vários contextos, ou seja, quando essas roupas não valorizam o tipo de corpo, o tom da pele e não reflectem a essência da personalidade de quem a veste, nem comunica assertividade, confiança e auto-respeito. O facto de ser cara e famosa, a roupa/acessório de marca não vai compensar em nada. O que eu quero dizer é que, é possível estar mal vestido/ inadequado, mesmo vestindo roupas ou usando acessórios de marcas poderosas, extremamente populares e absurdamente caras.Sinto-me na obrigação de descolonizar esse pensamento, porque somos infectados constantemente com os vírus da “marca e do preço” da roupa. A ideia principal é retirar os rótulos e parar com a humilhação para com quem não tenha condições financeiras. Isto porque, constantemente,

pt-ao